Palestra realizada no Shopping
Morumbi para a Intel sobre a
reinvenção do circo e da dança.

Cristiano Cimino

A carreira artística do diretor,roteirista e dramaturgo Cristiano Cimino, teve seu início em 1995, quando participou de workshops com o grupo catalão Fura Del Baus. Logo depois, Cristiano Cimino montou um show performático dentro de um ônibus 1960, que circulava pelas ruas mostrando o universo de alguns habitantes esquecidos das metrópoles.

Um ano depois, Cristiano montou três shows de grande sucesso na cidade: A Arte de Narcissus, A Metamorfhose de Narcissus e o Phenomeno de Narcissus, evento teatral itinerante realizado em fábricas abandonadas com a presença de mais de 8.000 pessoas. Assim, Cristiano Cimino iniciou sua carreira e continuou incansavelmente buscando explorar espaços e formas não convencionais de levar teatro, circo para todos os tipos de públicos e lugares. Depois de estudar em algumas escolas e linguagens teatrais no Brasil e, não se enquadrar em nenhuma delas, resolveu partir para a uma temporada de pesquisas e experimentações em solo europeu. Desembarcou em Paris, depois Bélgica e, finalmente, Holanda onde pode ter contato com uma dança e um teatro vertical, físico, urbano e performático. Depois de voltar ao Brasil, Cristiano Cimino fundou no ano de 2004, na cidade de São Paulo, a CIA BASE, que se dedica à pesquisa e criação coreográfica da dança vertical integrada com as substâncias do circo contemporâneo, com os recursos expressivos da dança, do teatro, utilizando-se da pesquisa do movimento e da ocupação do espaço aéreo.

As apresentações da CIA BASE são criadas a partir da união da dança com a arquitetura de estruturas urbanas e espaços não convencionais, num diálogo entre o corpo e a cidade. Bailarinas, dançarinas, cantoras e atores em situação de risco onde a arquitetura e a sobrevivência humana se encontram. Onde o teatro vira dança e a dança vira teatro.

Nestes dez anos de trabalho e pesquisas o diretor e sua Cia Base já ganharam o Prêmio Funarte de Circo, o Prêmio Pró Cultura, do Ministério da Cultura, e o Prêmio Documentário Crônicas da Cidade, filmado a partir do espetáculo As Mulheres do Sol. O espetáculo se tornou um filme e participou de diversos festivais de cinema no Brasil.

Desde 2004, já foram mais de 2.000 apresentações, sendo assistida por mais de 180 mil pessoas e convidada para participar e abrir os principais eventos artísticos e culturais como o Festival de Teatro de Curitiba, Festival Mundial de Circo, Circuito Cultural Paulista, Virada Cultural, Virada Esportiva, Cultura Livre, Virada Sustentável, Dia do Desafio do SESC, Festival de Arte para Crianças, Corredor Literário entre tantos outros.

O que tem assinalado o trabalho da CIA BASE e de seu diretor, ao longo dos anos, é o seu empenho na busca do novo, do criativo, do inusitado. Um estudo sobre a dança vertical e a renovação da linguagem do circo aéreo, a substituição do convencional pelo inovador, do desgaste pelo eficaz, da estética conformista pela revolucionária. Produzir indagações, provocar observações, arrancar palavras, forçar a manifestação da inteligência. Artistas voadores donos de sua expressão.

Em 2013, Cristiano Cimino foi considerado pela Intel um dos artistas mais criativos e inovadores dentro do conceito de reinvenção da dança. Depois de passar por Nova York, Chicago, Tóquio, Londres e Beijing, a Intel trouxe para o Brasil a turnê mundial “Experience Intel. Look Inside”. A etapa brasileira contou com performances de artistas globalmente reconhecidos por sua arte arrojada e inovadora entre eles, estão, o DJ e produtor Renato Cohen e o diretor e roteirista Cristiano Cimino.